Você tem sorte? – Darril Wilburn – Honsha.ORG

Eu perguntei a muitos grupos: “O que você prefere ter em seu negócio, grandes resultados, mas sem saber como você obteve esses resultados, ou resultados menores, mas com pleno conhecimento de como você os obteve?”  Tenho certeza de que você não vai se surpreender ao saber que a maioria das pessoas neste levantamento informal escolheu os grandes resultados. Essa é a natureza do negócio para a maioria das empresas, obter o resultado agora, agradar os acionistas agora e se preocupar com a forma como consegui-lo amanhã. É claro que o amanhã nunca chega.

Obter grandes resultados sustentáveis ​​é vital para a construção de uma empresa competitiva en longo prazo no mercado. Mas um foco cego nos resultados pode levar a um pensamento de curto prazo que em breve retirará a empresa do negócio. Grandes empresas aprendem a equilibrar a necessidade de grandes resultados com a capacidade de entender que é um processo que leva aos resultados, bons ou maus, e que, a fim de crescer e aprender, devemos saber exatamente como atingir esses resultados.

A figura abaixo representa esse pensamento.  Todos nós queremos grandes resultados e um grande processo, representado pela caixa superior direita.  Ninguém quer um processo ruim e maus resultados, como representado pela caixa inferior esquerda. Isso é óbvio. Uma questão importante a se perguntar sobre sua empresa é: quais caixas restantes representam os seus pensamentos e suas ações? Com apenas uma escolha, qual caixa você escolheria?

Chamamos a caixa superior esquerda de caixa da “sorte”.  Nós obtivemos os resultados, mas não sabemos como. É possível repetir e manter esses resultados? Podemos contar com a sorte? Será que os proprietários/acionistas irão se contentar com uma estratégia de longo prazo de “Esperamos ter sorte”?

Nós chamamos a caixa inferior direita de caixa do “aprendizado”. Sabemos exatamente como obtivemos os nossos resultados, portanto, podemos aprender e melhorar o processo e, assim, melhorar os nossos resultados. Você não pode começar da caixa de “sorte” para a caixa superior direita. Mas você pode chegar lá a partir da caixa do “aprendizado”. Esta é a chave para a sustentabilidade em longo prazo e melhoria contínua.

Untitled-1

DarrilWilburnDarril Wilburn
Enquanto estava na Toyota, Darril estudou o Sistema Toyota de Produção como um estudante de OMDD, grupo interno da Toyota. Ele também desenvolveu e implementou o Toyota Way 2001 na maior fábrica da Toyota na América do Norte, e trabalhou com o Instituto Toyota no Japão, para implementar a Prática de Negócios da Toyota (TBP), liderando o piloto global deste programa, bem como as sessões executivas sênior norte-americanas.

No Honsha, já teve oportunidade de assessorar mais de 100 empresas em países como EUA, Brasil, Indonésia, Alemanha, República Tcheca, Polônia, Lituânia entre outros. Darril também é um palestrante ativo, ele realiza apresentações e palestras sobre os princípios Lean em todo o mundo, incluindo:

· Revisão dos negócios de Harvard – América Latina, série de palestras no Chile, Equador e México
· Conferência de Talentos de Abu Dhabi
· Seminário de Lean do Governo do Estado de Washington
· Conferência de Lean para o Primeiro-ministro Lituano e demais membros do Governo
· ISM University of Management and Economics, Vilnius, Lituânia